GRÃO DE AREIA

Sismo e Erupção Vulcânica na Indonésia

Posted in Notícias by Artemisa on 27 de Outubro de 2010

Um abalo de magnitude 7,7 ocorreu segunda-feira à noite no mar, a 14,2 quilómetros de profundidade, ao largo da costa ocidental da Indonésia. Algum tempo depois, uma onda com três metros de altura atingiu as aldeias costeiras no remoto arquipélago de Mentawai. Segundo testemunhas, a vaga gigante chegou a penetrar 600 metros por terra adentro.

A zona em causa está localizada a 240 quilómetros a oeste de Bengkulu, na ilha de Sumatra, e a 280 quilómetros a sul de Padang, numa região muito frequentada por turistas. A linha de fractura sísmica onde se deu o tremor foi a mesma que em 2004 provocou o gigantesco tsunami do Oceano Índico que matou 230.000 pessoas em mais de uma dezena de países.

Localização do Arquipélago de Mentawai

Fonte: http://earthobservatory.nasa.gov/NaturalHazards/view.php?id=46607

A coincidir com o sismo e tsunami de ontem está um acumular de pressão no vulcão do monte Merapi, considerado o mais volátil da Indonésia.

Nos últimos dias o Vulcão tem vindo a crescer de actividade, pelo que as autoridades de Jakarta elevaram o nível de alerta e procederam à evacuação de várias aldeias situadas no sopé da montanha.

A última erupção do monte Merapi foi em 2006. Duas pessoas morreram então, vitimadas por uma avalancha de rocha e gases incandescentes. Em 1994 uma erupção semelhante tinha provocado 60 mortos e uma outra, em 1930, fez, pelo menos, 1300 vítimas mortais.

Monte Merapi, Indonésia

O número de mortos, feridos e desaparecidos tem vindo a aumentar, contudo será difícil calcular o seu número correcto devido ao mau tempo que se verifica na região que tem dificultado o acesso ao local e, consequentemente, a ajuda às vítimas por parte das equipas de salvamento.

Anúncios

Portugal e Orçamento de Estado… Rir é o Melhor Remédio!

Posted in Notícias, Pessoal by Artemisa on 23 de Outubro de 2010

Tagged with:

Passeio Virtual por 150 000 Áreas Protegidas do Mundo

Posted in Notícias by Artemisa on 23 de Outubro de 2010

ProtectedPlanet.net procura atrair a atenção das pessoas para as informações compiladas no Banco e Dados Mundial de Áreas Protegidas – WDPA (World Database on Protected Areas). O WDPA funciona há mais de 28 anos com o objetivo principal de  reunir informações digitais sobre cada  parque nacional e área protegida do planeta. Na posse desses dados estaremos mais bem informados para tomarmos as decisões certas em relação ao nosso planeta. Acontece ainda que essas áreas de proteção ambiental são também alguns dos lugares mais impressionantes da Terra, e destancando-as para o mundo por meio de visualização detalhada só trará benefícios.

Podemos explorar todas as áreas protegidas do nosso planeta usando mapas e buscas em alta velocidade em qualquer língua podemos descobrir quais espécies são encontradas dentro das áreas de protecção a partir dos dados do GBIF (Global Biodiversity Information Facility). Além disso, podemos ter noção real da riqueza maravilhosa e da diversidade de alguns dos mais incríveis locais do nosso planeta através de fotografias disponibilizadas pelo Panaramio e pelo Flickr.

O site ProtectedPlanet.net, inclui também informação sobre 213 locais em Portugal, incluindo Arquipélagos dos Açores e Madeira.

 

 

Mais Uma Vez a Biodiversidade em Risco!

Posted in Notícias by Artemisa on 1 de Outubro de 2010

“A destruição da floresta em Madagáscar está a empurrar para a extinção a pequena palmeira Dypsis brevicaulis. Estima-se que a população mundial esteja agora reduzida a 50 plantas em três locais. Mas não é caso único. O grupo mais ameaçado é o das Gimnospérmicas, onde se incluem os pinheiros e as araucárias e o habitat que, de momento, mais preocupa é a floresta tropical. E é nos trópicos que se concentra a maioria das espécies ameaçadas.

Para chegar a estas conclusões, os investigadores dos Kew Gardens, do Museu de História Natural de Londres e da UICN (União Mundial de Conservação da Natureza) estudaram uma amostra de 7000 espécies – dos principais grupos de plantas, como os Briófitos, Pteridófitos, Gimnospérmicas e Angiospérmicas -, representativas das 380 mil conhecidas actualmente. Do trabalho resultou o primeiro estudo à dimensão da ameaça ao mundo vegetal.

E os resultados não surpreenderam ninguém. “O estudo confirma aquilo que já suspeitávamos, ou seja, que as plantas estão ameaçadas e que a principal causa é a perda de habitat induzida pelo ser humano”. O relatório refere, especificamente, a conversão de habitats em solos agrícolas e para pastagens. No Sudeste asiático, as plantações de óleo de palma estão a causar um “efeito devastador nas florestas tropicais nativas”, ameaçando “muitas espécies de plantas”. Já na Austrália, ecossistemas inteiros estão a entrar em colapso devido à infestação do fungo Phytophthora cinnamomi que causa o apodrecimento das raízes. E se os Estados Unidos, Europa e Ásia não têm espécies muito ameaçadas, os autores alertam para a crescente expansão e intensificação de práticas agrícolas e desenvolvimento urbano.

A partir daqui, este relatório faz caminho até à Cimeira da ONU dedicada à Biodiversidade, em meados de Outubro em Nagoya, Japão. “A meta para a biodiversidade em 2020 que será discutida em Nagoya é ambiciosa. Mas numa altura em que aumenta a perda da biodiversidade, é inteiramente apropriado intensificar os nossos esforços”. “As plantas são a fundação da biodiversidade e o seu significado em tempos climáticos, económicos e políticos incertos tem sido descurado há muito tempo”.


Os responsáveis adiantam que este projecto vai ser revisto periodicamente, para “monitorizar o destino das plantas”, mostrando onde e que tipo de acção é necessária. Ainda assim, esta não será uma missão fácil. Avaliar a ameaça às plantas (com 380 mil espécies estimadas) é mais complicado do que fazer o mesmo em relação às aves (9998 espécies), mamíferos (quatro mil) ou anfíbios (6433).”

Artigo retirado do Jornal Público online, no dia 29/10/2010 por Helena Geraldes