GRÃO DE AREIA

Vulcão Eyjafjallajokull: Actualização

Posted in Notícias by Artemisa on 17 de Abril de 2010

A Agência Europeia de Tráfego Aéreo (Eurocontrol), que monitoriza o espaço aereo de 38 países, afirmou que dois terços dos 28 mil voos de todo o continente foram cancelados na sexta-feira. A Grã-Bretanha estendeu o encerramento do seu espaço aéreo do meio dia de sábado à 1h de domingo.

Em termos de condicionamento/encerramento do espaço aéreo, os responsáveis internacionais dizem que esta situação é pior que o 11 de Setembro. Encontra-se voos cancelados um pouco por todo o mundo, em países como a China, Japão, Austrália ou Singapura.

Entretendo, os passageiros procuram alternativas e o Eurostar, o comboio que liga Londres a várias cidades do continente, atravessando o túnel da Mancha, foi alvo de uma verdadeira corrida, que esgotou os bilhetes, apesar de todos os 58 comboios em operação estarem a funcionar e continuaram esgotados, pelo menos até à próxima segunda-feira.

A erupção do vulcão na Islândia começou com maior intensidade na passada quarta-feira (14/Abril/2010) e continua a  lançar cinzas na atmosfera. Especialistas temem que as cinzas contidas na nuvem de fumo entrem nos motores do avião entupindo as turbinas. Quando isso acontece, o motor pára de funcionar em pleno voo.

Depois de incidentes como o de 1982 com um voo da British Airways, que ficou sem os motores depois de atravessar a nuvem de cinzas de um vulcão da Indonésia, as companhias aéreas não arriscam. Ontem, as autoridades finlandesas confirmaram que um dos seus aviões de combate F-18 tinha ficado seriamente danificado num treino na quinta-feira, antes de ter sido encerrado o seu espaço aéreo.

As cinzas, no entanto, não apresentam risco grave para a saúde daspopulações . Segundo autoridades de saúde na Escócia, onde a previsão era de que as cinzas começassem a cair na noite de quinta para sexta-feira, a expectativa é de que a concentração de partículas seja baixa.

Fonte: NASA/MODIS Rapid Response Team 16/Abril/2010

Nuvem de cinzas (castanho) estendendo-se desde o Reino Unido (esquerda) até à Alemanha (direita).

Fonte: NASA GSFC/JPL - 15/Abril/2010

Na imagem à esquerda uma imagem em cor natural, enquanto que a imagem da direita é de infravermelhos, mostrando a pluma de cinzas a vermelho devido à presença de sílica. A imagem não evidencia a presença de ácido sulfúrico que apareceria a amarelo na imagem da direita, pondo de parte, para já, o receio de chuvas ácidas.

Fonte: NASA's Jet Propulsion Laboratory, Pasadena, California - 15/Abril/2010

Imagem visível da pluma de cinzas.

Fonte: NASA's Jet Propulsion Laboratory, Pasadena, California - 15/Abril/2010

Esta imagem mostra a nuvem de cinzas (azul) envolvendo a Islândia e movendo-se sobre as ilhas Shetlans e Europa. Esta nuvem de cinzas estima-se que esteja à altitude de 3,658 metros (12,000 pés).

Erupção do Vulcão Eyjafjallajökull na Islândia

Posted in Notícias by Artemisa on 15 de Abril de 2010

No dia 20 de Março iniciou-se a actividade no sistema vulcânico em Eyjafjallajökull, no sul da Islândia.

Geologicamente, a  Islândia é bastante recente e está localizada num ponto quente geológico causado pela pluma mantélica, e também na dorsal meso-atlântica, que passa exatamente sob o solo da ilha. Esta combinação significa que, geologicamente, a ilha é extremamente activa, tendo assim muitos vulcões, entre eles o Hekla, o Eldgjá, Eldfell, Katlae o Eyjafjallajökull.

Três erupções anteriores do Eyjafjallajökull são conhecidos nos últimos 1100 anos (tempo histórico na Islândia). A mais recente começou em Dezembro de 1821 e durou de forma intermitente  mais de um ano. O vizinho vulcão Katla entrou depois  em erupção em 26 de Junho de 1823. Outras erupções foram registadas, nomeadamente uma erupção em 1612 ou 1613, e cerca de 920.

Ontem, 14 de Abril registou-se um incremento da actividade vulcânica no vulcão Eyjafjallajokull, acompanhada de sismicidade, formando um novo foco eruptivo localizado sob o glaciar, que provocou a fusão do gelo e causou inundações que afectaram várias estradas. Cerca de 800 de pessoas que se encontravam em zonas de risco de inundações foram evacuadas e a erupção formou uma coluna eruptiva que atingiu altitudes entre 6 a 11 km, e progrediu para leste, interrompendo o tráfego aéreo da zona norte da Europa, nomeadamente nos aeroportos do Reino Unido e Irlanda.

Localização

Nesta imagem datada de 24 de Março é possível ver a corrente de lava e a nuvem de fumo.

Fonte: NASA image by Robert Simmon, using ALI data from the EO-1 team. Caption by Robert Simmon (24/Março/2010)

Actividade registada no dia 26 de Março.

Fonte: NASA image by Jesse Allen and Robert Simmon, based on data from the MODIS Science Team. Caption by Robert Simmon (26/Março/2010)

Nuvem de fumo, derivada da actividade do vulcão.

Fonte: NASA image by Robert Simmon, using ALI data from the EO-1 team. Caption by Robert Simmon (01/Abril/2010)

Fonte: NASA image by Robert Simmon, using ALI data from the EO-1 team. Caption by Robert Simmon (04/Abril/2010)

Corrente de lava e nuvem de fumo.

Fonte: The MODIS instrument on NASA's Terra satellite captured an Ash plume from Eyjafjallajokull Volcano over the North Atlantic, NASA/MODIS Rapid Response Team (14/Abril/2010)

Fonte: NEODAAS/University of Dundee/AP (15/Abril/2010)

Imagens mais recentes do vulcão Eyjafjallajökull.

Evolução prevista da nuvem de poeiras e fumos prevista para os países do Norte da Europa, tendo em conta as condições meteorológicas, nomeadamente velocidade e direcção das correntes atmosféricas em altitude e à superfície.

A imagem de satélite mostra a nuvem de poeira a preto, ao mesmo tempo que as partículas de gelo se misturam com cinzas.

A população envolvente a Eyjafjallajoekull foram evacuadas mas as nuvens de poeiras formadas são uma preocupação crescente para o tráfego aéreo dos países vizinhos .

Mwteorologistas dizem que a nuvem irá dissipar-se e perder intensidade, contudo a erupção continua, bem como a nuvem de cinzas.

Não existem previsões para quando serão retomados os voos.

Com as restrições impostas à circulação aérea nos países afectados pelas nuvens de cinzas, e uma vez que estas podem provocar a paragem dos motores dos aviões, milhares de passageiros que pretendiam viajar para os mesmos, enchem os aeroportos um pouco por todo o mundo.