GRÃO DE AREIA

Hoje Descobri as Cagarras

Posted in Notícias by Artemisa on 28 de Abril de 2010

Não as ilhas mas a ave.

Estava com uma amiga numa última conversa antes de cada uma de nós entrar no seu carro de regresso a casa, quando começo a ouvir um som que não se assemelhava a nada que já tivesse ouvido ou que me fosse, de alguma forma, familiar! E perguntei-lhe:

– “Que som é este?”. Ao que ela me responde:

– “É uma cagarra”.

Fonte: Galeria de Tomás Martins em http://www.flickr.com/photos/avesdeportugal/

Nunca tinha visto nem ouvido falar de tal ave mas confesso que fiquei fascinada!Para quem, como eu, nunca ouviu falar, deixo aqui algumas informações.

Nome vulgar: Cagarra.

Nome científico: Calonectris diomedea borealis (Cory, 1881)

Família: Procelariidae

Distribuição e Habitat: Ave pelágica que corre no arquipélago da Madeira e que nidifica em pequenas ilhas, ilhéus e falésias costeiras. Nas Selvagens (uma das primeiras Áreas Protegidas de Portugal), nidifica no solo entre a vegetação rasteira devido à ausência de perturbações.

Descrição: Ave marinha de grande envergadura, nas asas varia entre 100 e 125 cm. As fêmeas pesam em média 780g, os machos são maiores e pesam cerca de 900g. Pode ser identificada pelo seu voo rápido e planado.

Estatuto de Conservação e Ameaças: Espécie de menor preocupação. População superior a 10000 casais com uma extensa área de ocorrência. Das aves marinhas nidificantes no Arquipélago da Madeira, a Cagarra é a mais bem estudada. A maior colónia desta espécie situa-se nas Ilhas Selvagens.

As cagarras são aves migratórias de longa distância, que passam a maior parte da vida voando sobre os oceanos de águas temperadas a frias. O seu único contacto com terra é na época de reprodução, quando se reúnem em ilhas e áreas costeiras para nidificar em zonas rochosas.

É nos arquipélagos da Madeira e dos Açores que se encontra a maior concentração mundial de cagarras, espécie que se encontra em regressão a nível mundial devido à vulnerabilidade que apresenta e à presença de predadores terrestres e à actividade humana. Por esse facto foi necessário proceder por via da lei à protecção desta ave marinha com leis nacionais e internacionais, que impedem a sua captura, detenção ou abate, assim como a destruição ou danificação do seu habitat.

Trata-se da ave marinha mais abundante nos Açores, região a que regressa todos os anos em Março para acasalar e nidificar.

Todos os anos as cagarras regressam à mesma ilha e ao mesmo ninho onde se reproduziram pela primeira vez. O parceiro é sempre o mesmo todos os anos e os rituais de reconhecimento e acasalamento são complexos. As crias nascem em Maio e em Outubro abandonam os ninhos rumo ao mar. Só regressam para se reproduzir passados 5 anos.

Para quem não souber como é o canto, pode ouvir no vídeo.

No ano em que se celebra a Biodiversidade, nada como descobrir “novas” espécies!!

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. MB said, on 29 de Abril de 2010 at 00:31

    O som das noites de verão madeirense…🙂


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: